"...brilhe a vossa luz diante dos homens,
de modo que, vendo as vossas boas obras,
glorifiquem o vosso Pai, que está no Céu."
(Mt 5, 16)

São vários os cristão alentejanos,
ou com profunda relação ao Alentejo,

que se deixaram transformar pela Boa Nova de Jesus Cristo
e com as suas vidas iluminaram a vida da Igreja.
Deles queremos fazer memória.
Alguns a Igreja já reconheceu como Santos,
outros estão os processos em curso,

outros ainda não foram iniciados os processos e talvez nunca venham a ser…
Não querendo antecipar-nos nem sobrepor-nos ao juízo da Santa Mãe Igreja,
queremos fazer memória destas vidas luminosas.

quarta-feira, 13 de novembro de 2019


Novo santo português foi uma das vozes de referência no Concílio de Trento (1543 – 1563)
Adotou o apelido «dos Mártires», em sinal de devoção à terra que o viu nascer e onde se tornou cristão pelo sacramento do Batismo. Bartolomeu Fernandes Vale nasceu em Lisboa, a 03 de maio de 1514, tendo sido batizado na Igreja dos Mártires, na capital portuguesa. A Igreja em Portugal tem, desde o dia 06 de julho deste ano, um novo santo: São Bartolomeu dos Mártires. Para comemorar esta entrada no álbum dos santos, as dioceses de Viana do Castelo e Braga realizam, este fim-de-semana, uma celebração de ação de graças pela canonização.
Recebeu o hábito dominicano a 01 de novembro de 1528, no convento de São Domingos em Lisboa. Concluiu os estudos institucionais de artes e teologia em 1938 e passou os vinte anos seguintes a ensinar nos conventos de Lisboa, Batalha e Évora. Vulto cimeiro do pensamento e da fé no século de ouro do humanismo, e a quem valores dos mais significativos das letras portuguesas consideravam «astralmente luminosa». Naquela época reinava em Portugal o rei D. Manuel e presidia à Igreja de Deus o Papa Leão X.
As descrições da pessoa e obra deste ilustre português, narradas no século XVII por frei Luís de Sousa, indicam-no como homem de estatura acima da média, com grande zelo apostólico, hábitos excessivamente frugais, rigorosos e disciplinados.
Dotado duma inteligência perspicaz e duma vontade generosa e forte, nunca deixou de ser uma pessoa humilde e simples. Por esta razão, nunca lhe passou pela mente a ideia de ocupar cargos a que estivessem, de alguma maneira, ligados quaisquer honrarias. O seu desejo era servir a Igreja como simples frade conventual. Nunca imaginou ter de trocar o seu hábito branco e preto de discípulo de São Domingos por vestes episcopais.
No entanto estava vago o Arcebispado de Braga, por falecimento de D. Baltasar Limpo.
Convidado pela rainha D. Catarina a aceitar o arcebispado de Braga, recusou porfiadamente tal cargo eclesiástico. Nada nem ninguém conseguia demovê-lo do seu desejo de servir a Igreja dentro dum convento.
Para aceitar… Foi necessário que o seu provincial, frei Luis de Granada, lhe impusesse a obediência para este cargo hierárquico. Então, vendo na vontade do seu superior a vontade de Deus, obedeceu fiel e generosamente.
Nomeado arcebispo de Braga pelo Papa Paulo IV, no consistório de 27 de janeiro de 1559, o mesmo Papa concedeu-lhe o pálio de arcebispo a 03 de junho do mesmo ano.
Há vidas que são verdadeiros poemas. A de São Bartolomeu do Mártires, com todos os pormenores das funções que exerceu ao longo da sua vida, é uma verdadeira epopeia de fé e de amor a Deus, manifestado no amor ao próximo, sobretudo aos mais carenciados.
Uma biografia repleta… de um homem santo nascido no século XVI.
A sua ação no Concílio de Trento foi de tal maneira empolgante que causou a admiração de todos os padres conciliares e do próprio Papa. Foram célebres as suas intervenções, e a elas se ficaram a dever muitos decretos da reforma conciliar. Um homem que não se ficava apenas pela teoria…
Pastor desprendido de todas as vaidades, honras e prazeres mundanos, tendo apenas em conta o bem do rebanho que lhe estava confiado, começou a viver num ambiente de extraordinária austeridade. Colocado à testa duma arquidiocese cujo território se estendia desde o Alto Minho até ao nordeste transmontano não se sentia em paz apenas nas paredes do paço arquiepiscopal.
Em todas as terras que visitava, sempre se deparava com uma constante: A ignorância religiosa do povo e dos seus pastores. Perante esta paisagem tão sombria de conhecimentos resolveu escrever alguns livros, que passados 500 anos ainda estão e são atuais. Obras literárias em linguagem simples e acessível que se revestem de uma permanente frescura e revelam sempre novidade. O «Estimulo dos Pastores» é uma dessas obras…
A 04 de novembro de 2001, frei Bartolomeu dos Mártires foi beatificado na Praça de São Pedro, no Vaticano. Um homem daquele, Carlos Borromeu, que a seu lado participou no Concílio de Trento e já inscrito entre os santos, considerou-o «modelo de bispo e espelho de virtudes cristãs». Fundou o seminário, o primeiro de toda a cristandade, para a formação dos presbíteros, uma novidade que o Papa São João Paulo II fez questão de mencionar na celebração da sua beatificação…
Em 2019 é canonizado, mas este processo tem algumas nuances…
Um bispo próximo do seu povo que calcorreou, repetidamente, toda a arquidiocese de Braga Um homem audacioso e com fervor apostólico que nunca deixou de ser dominicano. Na etapa final da sua vida, Bartolomeu dos Mártires retirou-se para o Convento de Santa Cruz, na cidade de Viana do Castelo. Naquele local, hoje Igreja de São Domingos, deu expansão à sua ardente caridade para com os pobres, que já o consideravam santo. Aquela Igreja guarda memórias e relíquias daquele homem que nunca se cansou de evangelizar.
São Bartolomeu dos Mártires já está inscrito no álbum dos santos… Foi um homem sapientíssimo a quem a aspereza das regiões minhotas e transmontanas, nem rigores alguns, frio ou calor ou outra qualquer intempérie, puderam deter-lhe o passo, para cumprir, todos os deveres de pastor. Será que algum dia será declarado doutor da Igreja?
(Fonte: https://agencia.ecclesia.pt/portal/bartolomeu-dos-martires-de-santo-do-povo-a-doutor-da-igreja/fbclid=IwAR1PfentRPivxqjBXm72XebIbLd1BdA2AaYLbK0d_IOd25OaE99gTQwAxOQ)

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Novo livro sobre Santa Beatriz da Silva, «Da tua beleza se enamora o rei», editado pela Lucerna, da autoria do sacerdote Pacense João Paulo Quelhas Domingues, procura levar-nos a descobrir a identidade e grandeza espiritual da fundadora da Ordem da Imaculada Conceição.

sábado, 17 de agosto de 2019


17 de Agosto de 2019
Festa de Santa Beatriz da Silva
Virgem e fundadora

Por amor ao Eterno Pai,
e à Mãe de Deus sem pecado:
toda se deu ao Espírito
e ao Esposo, bem amado.

Virgem fiel e prudente,
modelo de santidade
escreveu com letras de ouro
poema d'eternidade.

As glórias vãs deste mundo
Beatriz soube rejeitar
p'ra seguir Divino Mestre
e não mais O abandonar.

Toda se deu a Deus,
por amor à Imaculada:
por Ela deu a vida,
por Ela foi adornada.

De virtude e de pureza:
marcada foi sua fronte,
é perfume de açucena
que nasce no alto monte.

Glória e louvor para sempre,
à Santíssima Trindade,
que transformou Beatriz
num canto de santidade.

P. Marcelino José Moreno Caldeira
Hino a Santa Beatriz da Silva
Fátima, Julho de 2000

sexta-feira, 16 de agosto de 2019


3º Dia:
16 de Agosto de 2019
Preparando a Festa de Santa Beatriz da Silva
... a elequência mais evidente da vida
Da nova Santa não nos é possível tecer o breve elogio que se costuma fazer no momento de uma canonização e que parece projectar perante os nossos olhos radiantes os traços de um rosto glorioso porque, assim como o rosto extraordinário, belo e puro de Beatriz da Silva permaneceu velado por longos anos da sua vida terrena, até à sua bem-aventurada morte, assim também muitos aspectos da sua biografia só chegaram até nós por reflexos, como PER SPECULUM IN AENIGMATE - através de um espelho e de modo confuso - (cf. 1 Cor 13, 12), na documentação histórica através da qual ela transparece como figura inocente, humilde e luminosa, apesar de não conceder à nossa humana mas legítima curiosidade sinal algum de expressão pessoal. Assomam aos lábios as palavras de Dante: OV'E BEATRIC - onde estás Beatriz? - (A Divina Comédia, Paraíso, canto 32, verso 85); ou as palavras bíblicas em que vibra o amor místico: MINHA POMBA ... MOSTRA-ME O TEU ROSTO, FAZ-ME OUVIR A TUA VOZ, PORQUE A TUA VOZ É SUAVE E GRACIOSO O TEU ROSTO (Ct 2, 14).
Porque efectivamente, nenhuma palavra desta Santa chegou até nós nas suas sílabas textuais, e por conseguinte, nenhum eco da sua voz; nem escrito algum da sua mão, ou algum retrato do seu rosto demasiado belo, como se dizia, para que não fosse, na sua juventude, causa de turbação. E nem sequer os estatutos definitivos da Regra para a família religiosa que Ela fundou, inaugurando com a sua própria morte o nascimento da mesma família.
Mas, então, uma pergunta surge no espírito de quem dirige a atenção e a devoção para esta cidade do céu: será uma lenda a sua vida? Será fruto de um mito? Não, não é! Beatriz da Silva antes de entrar no reino eterno do céu, foi cidadã da terra: e o seu registo, e mais ainda a sua obra de Fundadora de uma nova e ainda hoje florescentíssima Família Religiosa, a das Monjas da Santíssima Conceição de Maria, não deixam dúvida alguma, antes conferem certeza particular e edificante exemplaridade à história hagiográfica desta esplêndida figura.
Santa Beatriz da Silva, portuguesa de nascimento, passou a maior parte da sua existência terrena em terras de Espanha, Mulher que ao nosso coração de crentes fala, se não com os escritos, sim com a eloquência mais convincente da vida.
Beato Paulo VI, da Homilia proferida na Canonização de Santa Beatriz da Silva a 3 de Outubro de 1976, na Basílica Vaticana de São Pedro

Oração
Senhor nosso Deus, que fizestes resplandecer na virgem Santa Beatriz o altíssimo dom da contemplação e a adornastes com a singular devoção à Imaculada Conceição da Virgem Maria, concedei-nos que, seguindo o seu exemplo, busquemos na terra a verdadeira sabedoria para merecermos contemplar no Céu a glória do vosso rosto. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

quinta-feira, 15 de agosto de 2019


2º Dia:
15 de Agosto de 2019
Preparando a Festa de Santa Beatriz da Silva
Santa Beatriz foi sempre argila nas mãos amorosas do seu Oleiro, o seu projecto não foi instalar-se nos seus projectos, no que ela acreditava ser o melhor, mas na oração constante, tratava de descobrir a vontade de seu Senhor. Ela tinha-se consagrado e seguia a Jesus Cristo, não o seu projecto”.
Carta da Madre Coordenadora, Madre Maria de la Cruz Alonso Paniagua oic, na solenidade de Santa Beatriz, BEATRIZ EN EL V CENTENARIO, 16 de Agosto de 2011

Oração
Senhor nosso Deus, que fizestes resplandecer na virgem Santa Beatriz o altíssimo dom da contemplação e a adornastes com a singular devoção à Imaculada Conceição da Virgem Maria, concedei-nos que, seguindo o seu exemplo, busquemos na terra a verdadeira sabedoria para merecermos contemplar no Céu a glória do vosso rosto. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019


1º Dia:
14 de Agosto de 2019
Preparando a Festa de Santa Beatriz da Silva
“Em Beatriz experimentamos que os seus anos de encerramento e de silêncio foram a ocasião e a casa onde Deus fez a sua morada. Do abandono ao que Deus quer e à disponibilidade para o que Deus quer, pode-se empreender um caminho de procura do seu rosto, vivência do Evangelho e caminho de contemplação segundo o genuíno exemplo da Mulher de Nazaré, a Mãe do Senhor”.
CARTA DO PADRE ASSISTENTE por ocasião da Festa de Santa Beatriz da Silva de 2012, Fr. Joaquín Domínguez Serna, OFM, 06 de Agosto de 2012

Oração
Senhor nosso Deus, que fizestes resplandecer na virgem Santa Beatriz o altíssimo dom da contemplação e a adornastes com a singular devoção à Imaculada Conceição da Virgem Maria, concedei-nos que, seguindo o seu exemplo, busquemos na terra a verdadeira sabedoria para merecermos contemplar no Céu a glória do vosso rosto. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

quarta-feira, 17 de julho de 2019


Beato Domingos de Borba 
e 39 companheiros mártires, 
rogai por nós!
O testemunho do Beato Domingos Ferandes de Borba e 39 companheiros constitui um exemplo vivo e próximo para todos. A sua morte heroica é um sinal eloquente de que a vitalidade da Igreja não depende de projetos ou cálculos humanos, mas vem da adesão total a Cristo e à sua mensagem de salvação. Disto estavam bem conscientes estes mártires que tiraram forças não de um desejo de protagonismo pessoal, mas de um amor sem reservas por Jesus Cristo, mesmo à custa das suas vidas.
O martírio, com efeito, é uma revelação particular do mistério pascal que continua actuando e se oferece aos homens de todos os tempos como promessa de vida nova. Assim escrevia o famoso escritor romano Tertuliano: “Sanguis martyrum - semen christianorum”;  o sangue dos mártires é a semente dos cristãos.
Confiemo-nos à sua intercessão, cuja existência se tornou para toda a Igreja, num poderoso farol de luz, num convite convincente a viver o Evangelho de maneira radical e com simplicidade, oferecendo um corajoso testemunho da fé que supera todas as barreiras e abre horizontes de esperança e fraternidade.
Cf. Homilia do Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos na missa de beatificação de Maria do Carmo Lacaba Andía e 13 companheiras mártires, 22.06.2019